quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

"RUA DA MINHA INFÂNCIA"


Quando passo por aqui
Saudade bate aqui dentro
Momentos felizes que viví
Imagens perdidas pelo tempo

Andando por esta rua
que tantas lembranças me traz
Antes gritos de crianças
Agora o silêncio se faz.

Dos gritos só restou o silêncio
As casas já não são mais iguais
A casinha onde cresci
Já nem exisite mais

Como num filme em preto e branco
Vejo minha vida passar
Roteiro de uma infância feliz
Melhor que um filme de Godard

Ainda ouço as risadas
Naquelas tardes de verão
Banhos gelados de chuva
Aquecendo o coração

Ah, meu Deus. Que tempo bom!

Serena.

11 comentários:

Isa disse...

Serena,querida,as lembranças,as recordações,são uma homenagem ao k
já vivemos! Sincers,bonita!
Há um selinho para ti.
Feliz Ano Novo.
Beijoo.
isa.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Serena, belo poema Amiga... Adorei... Um Ano de 2009, Com tudo de bom na tua vida... Um abraço de carinho e ternura,
Fernandinha

Gaspar de Jesus disse...

Cara SERENA
Gosto deste seu Poema!
Todos nós temos uma rua onde crescemos para a vida e de nunca nos esquecemos.
Gosto também desta Pintura NAÍF.
Bjs
G.J.

LuzdeLua disse...

Que lindo...
Também me fizestes pensar na rua da minha infância. Aonde até hoje escuto os ecos dos amigos a me chamar para nova brincadeira.
Deixo-te um beijo com carinho e bons desejos para 2009.
Bjs

Olavo disse...

belo poema..nada como recordar a infancia..no meu caso distante e muito distante rs
beijão

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Só passando para te desejar uma bela semana.
Abraços

OUTONO disse...

Por aqui respira-se poesia...

Reunido o "fórum" da minha eleição, foi decidido atribuir-te o prémio DARDOS. Parabéns!

Está tudo em http://pretexto-classico.blogspot.com

Abraço.

Chris disse...

Serena, que lindo seu poema, fiquei muito encantada, cada passagem tão sua, gostaría de lhe entregar um selo, tem umas palavras pra vc no meu espaço.

Te espero lá, bjs querida
Chris

Eduardo P.L disse...

Belo poema! Feliz quem pode do passado lembrar com tantas alegrias!

Carlos Pereira Jr disse...

Oi Serena,
Memória é identidade, construção de nós mesmos no apropriar-se do tempo onde tudo passa...
Belos versos! Muito inspiradores.

sagher disse...

e do olhar se fez presente
da memória se fez vida
do dia a dia corrida
de um passado já ausente

 
BlogBlogs.Com.Br